29.8.05

Redoma

Falam perto de mim, me acercam
Tocam em meu corpo encurvado
Pedem-me desculpas, lacerado
Sei que a fé me diz o quanto pecam.

Agora se afastam, em desalento
Tristes são os que erram pelo nada
Minha alma queda-se calada
Não se passa nada num momento.

Um silêncio profundo me assoma
Distantes são as vozes, quase mudas
Rezo para que a indiferença os tome

Pelo pulso. Sei de todos os seus nomes
Algum deles já ouviu Pablo Neruda?
Deus, me dê por templo uma redoma.

Lucas Tenório

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home