6.10.05

Lições Elementares da Pedra - III

Se nada se diz da pedrada
Da pedra dada se diz macia
De degustada, assim se enuncia:
Ao paladar com sal temperada.

Aos olhos rubros da litosfera
Opõe-se o dedo verde de venda
Que ao tronco faz com que penda e fenda
Em escuridão seminal de terra.

E assim no peso, que é pedra cega
Que não é areia, cascalho e pó
Encontra a pedra, que é pedra trave
A pedra nave da pedra sol.

E nessa pedra, que é pedra lenha
Que é pedra dada não sei por quem
Vê-se no rosto que a pedra tenha
Que a pedra clara essa pedra tem.

Que é pedra leve, é pedra clara
Onde da pedra se tem visão:
Que dessa pedra se avista o chão
De terra pedra que é pedra rara.

E se a pedra clara é a pedra vasta
E se a pedra rara é a pedra chão
Tem-se que o tronco que se desgasta
É a sobra pedra da ebulição.

E dessa sobra pedra, nessa navalha
Se a liquefeita pedra é uma pedra ar
Tem-se do tronco que se fornalha
Que nessa pedra terra tem-se a pedra mar.

E se a pedra terra é a mesma pedra barro
E se essa pedra clara é fecundação
No que houver de pedra nesse meu escarro
Haverá de pedra na enunciação.


Lucas Tenório

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home