15.2.06

Adriana Calcanhotto

Adriana.
Diacrônica Nana.
Anatematicana.
O ignoto intenta que te encana.
Não te ufana
o escroto,
Astuta,
O filho da puta é tira-gosto.
Euclidiana.

Com o rosto, posposto,
em vôo modulado de albatroz
Diva em vênus que emprenha Atenas.
Paris, adiana, no sêmen para helena.
Paraporcelana
Adriana Calcanhotto.

Lucas Tenório


Poema inspirado pelo show de Adriana Calcanhotto,
"Cantada", no Recife, na noite de 03 de maio de 2003.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home