24.10.05

Poema da Noite Menor - César Leal

Desça a noite suavemente
ao encontro das auroras
movendo remos de sono.

Venha a linguagem das pedras
sangre o peito dos rochedos
à lança dos furacões.

Bandeiras de vento ondulem
na terra oculta dos sonhos
as trevas sepultem luas.

Nuvens caídas repuxem
meu corpo de luz suspenso
pelas cordas do arco-íris.

Nos labirintos da morte
- a espessura do silêncio
e a rota desconhecida.

O Arranha-Céu e outros poemas, César Leal,
Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, 1994, contracapa.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home