18.11.05

1619 - Francisco José Tenreiro

Da terra negra à terra vermelha
por noites e dias fundos e escuros,
como os teus olhos de dor embaciados,
atravessaste esse manto de água verde
- estrada de escravatura
comércio de holandeses

Por noites e dias para ti tão longos
e tantos como as estrelas no ceú,
tombava o teu corpo ao peso de grilhetas e chicote
e só ritmo de chape-chape da água
acordava no teu coração a saudade
da última réstia de areia quente
e da última palhota que ficou para trás.

E já os teus olhos estavam cegos de negrume
já os teus braços arroxeavam de prisão
já não havia deuses nem batuques
para alegrarem a cadência do sangue nas tuas veias
quando ela, a terra vermelha e longínqua
se abriu para ti
- e foste 40'L esterlinas
em qualquer estado do SUL -

(Obra poética de Francisco José Tenreiro*, 1967
apud No Reino de Caliban III, p. 439)
____________________________________________________
* Nasceu em São Tomé em 20/01/1921 e morreu em Lisboa em 31/12/1956. Foi para Lisboa com cerca de dois anos de idade e nessa cidade concluiu os seus estudos. Cursou a antiga Escola Colonial e se doutorou em Ciências Geográficas na Faculdade de Lisboa. Foi professor catedrático do Instituto Superior de Ciências Sociais e Política Ultramarina e membro de associações científicas nacionais e internacionais. Em sua época de estudante, esteve muito ligado aos movimentos literários, culturais e políticos da Casa dos Estudantes do Império. Foi um dos fundadores do Centro de Estudos Africanos em Lisboa (1951), de atividade clandestina. Colaborou de maneira representativa em jornais e revistas nacionais e estrangeiros, de natureza literária ou científica. Além de poeta, foi ensaísta e investigador. Esteve ligado a várias iniciativas culturais. Obras publicadas: Ilha de nome santo (1942), postumamente integrado na Obra poética de Francisco José Tenreiro (1947), reeditada em 1982 com o título Coração em África; Panorama da literatura norte-americana (1945). Co-autoria no Caderno de poesia negra de expressão portuguesa (1953); São Tomé, monografia esta orientada no sentido da geografia humana (obra científica).
(In Antologia do Mar na Poesia Africana de Língua Portuguesa do Século XX - Volume III. Carmen Lucia Tindó Ribeiro Secco (Coordenadora). Faculdade de Letras UFRJ - 1999, pp. 181-182.)

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home