24.10.05

Lições Elementares da Pedra - IV

O ponto ocaso

Pondo à noite o crivo no vaso
e a fenda em orifício permeável
feita a luz o risco do atrito
que do crivo faz um grito.

Se descoberto o vaso em cálice
e em verbo o silêncio interdito
que se diga o motivo presto:
A janela em sol postiço.

E manchado o chão em vinho
e em luz o quarto está sozinho
mas a terra, qual esponja
beberá o sol ao teto.

Dessa lâmpada, leve o inseto
embriagado em éter-nectar
num esquife rebentado
cairá decrépito.

Pondo à noite o crivo na chama
e ao dissipar a voz carbonizada
restará ao sol da vela
a amplidão pedrada.


Lucas Tenório

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home